hia banner right is

Panorama da Região das Américas no contexto da pandemia de COVID-19

Family after receiving the COVID-19 vaccine

Introdução

A pandemia de COVID-19 afetou todas as áreas da vida das pessoas e teve repercussões para a saúde individual e da população. Desde o início da pandemia, o mundo vem enfrentando não só uma crise de saúde pública, mas também uma crise econômica e social, que não se limitou às consequências diretas da pandemia, mas que também exacerbou os desafios de saúde pública existentes e emergentes. Os efeitos negativos desse cenário sindêmico têm se concentrado nos grupos populacionais em situação de vulnerabilidade, tais como pessoas idosas, grupos de baixa renda, minorias étnicas, migrantes e pessoas sem residência fixa.

A pandemia também evidenciou a necessidade de fortalecer a multilateralidade, a fim de construir instituições fortes firmadas sobre as bases da solidariedade e da cooperação. Isso ajudará a reduzir os danos da COVID-19 e a prevenir os efeitos negativos de futuras pandemias que possam atrasar o progresso rumo aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e em matéria de direitos humanos (,).

A pandemia e as medidas tomadas em resposta a ela afetaram direta e indiretamente a saúde da população da Região. Também provocaram retrocessos no progresso alcançado até agora e colocaram em risco o cumprimento das metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável () e da Agenda de Saúde Sustentável para as Américas 2018-2030 (). Para retomarmos o caminho rumo aos objetivos de saúde mundiais, regionais e nacionais, é necessária uma abordagem baseada nos determinantes sociais e ambientais da saúde, com recursos e intervenções que visem explicitamente promover a equidade na saúde.

Sobre Saúde nas Américas

Uma das funções básicas da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) é "vigiar a situação sanitária e avaliar as tendências em matéria de saúde" nos países e territórios da Região das Américas. Saúde nas Américas é a principal publicação da OPAS que responde a este mandato, na qual se examinam as condições, tendências e desafios de saúde na Região.

Conforme a resolução CD7.R23, do 7º Conselho Diretor da OPAS, foi solicitado a todos os países e territórios que preparassem relatórios quadrienais sobre suas condições em matéria de saúde, com foco nas estatísticas de saúde. Esse relatório, agora conhecido como Saúde nas Américas, vem sendo publicado periodicamente desde 1954. Embora originalmente fosse apenas um almanaque de dados, evoluiu ao longo do tempo para se tornar uma publicação de referência fundamental que reúne os conhecimentos atuais sobre questões de saúde pública, bem como os desafios relacionados e as orientações necessárias para enfrentá-los.

Saúde nas Américas: Panorama da Região das Américas no contexto da pandemia de COVID-19 visa responder à necessidade de abordar questões importantes de saúde pública de forma cada vez mais oportuna e tornar-se uma plataforma que traz um enfoque profundo em tópicos específicos de importância regional. A edição de 2022 é a segunda nesse novo formato e contém uma síntese dos aspectos mais destacados da análise, bem como uma descrição detalhada dos temas mais relevantes sobre a COVID-19 na Região das Américas. Como material de apoio a esta síntese, esta plataforma virtual Saúde nas Américas+ oferece recursos interativos para a análise de dados e a comparação de informações desagregadas por sub-regiões e países.

Os objetivos desta publicação são:

  • Analisar as consequências da pandemia de COVID-19 sobre a saúde da população da Região das Américas, incluindo o acesso universal à saúde, com ênfase nas iniquidades.
  • Identificar lições aprendidas com a resposta à pandemia, incluindo as inovações que foram desenvolvidas.
  • Proporcionar uma visão prospectiva para recuperar e sustentar os ganhos na saúde pública e retomar o caminho da saúde universal.

Vá para a próxima seção >>>